Longe da imagem de violência, wushu é uma modalidade que proporciona muitos benefícios

Ganhos físicos e mentais estão à disposição dos nossoclubinos praticantes dessa arte marcial, com aulas a partir dos 6 anos

 
Muitas pessoas associam artes marciais a uma atividade violenta. Essa, porém, não é a realidade. Quem garante é o professor Júlio Mafra, que dá aulas de kung-fu no Nosso Clube. Aliás, o termo mais difundido para nominar essa milenar modalidade no mundo todo é wushu. “Essa imagem associada à violência não corresponde ao que os alunos vão encontrar nas aulas de wushu, nas quais o ambiente é leve e descontraído”, afirma. “Os praticantes, por conta da autoconfiança que o treinamento desenvolve, têm uma atitude bem tranquila”.
 
Mafra explica que o wushu tem uma grande quantidade de estilos, cada um com suas características próprias. Shaolin Norte, Choy Lee Fut e Wing Chun estão entre os mais tradicionais. Eles propõem variações no modo de realizar movimentos de chutes, socos, agarre ou no uso de armas. “A modalidade também se tornou um esporte e possui competições de luta e exibição”, acrescenta o professor. 
 
A luta no wushu é chamada de sanda, cujas aulas são voltadas para quem almeja seguir o caminho de aperfeiçoamento em combate. “Hoje, o sanda é uma modalidade com características próprias e independe da prática de um estilo ou de taolus”, detalha Mafra. Os taolus, que no Brasil também são muito conhecidos como kati ou forma, são uma sequência de procedimentos que simulam um combate, podendo utilizar armas ou mãos livres. 
 
O sanda, também chamado de boxe chinês, por ser um esporte rápido, trabalha o raciocínio e a agilidade, além de exigir força e tonificar principalmente braços, peito e pernas, proporcionando uma queima calórica intensa. Treinar um taolu também pode ser uma ótima atividade física, já que demanda força, velocidade e precisão. Portanto, seja qual for o estilo escolhido pelo praticante, o wushu, um legado cultural e esportivo do povo chinês, vai agregar fortemente no desenvolvimento e aperfeiçoamento físico e mental das mais variadas faixas etárias.
 
“O wushu pode ser praticado em diversas idades, desde que se respeitem as fases de desenvolvimento do praticante, sejam crianças ou adultos”, frisa Mafra. No Nosso Clube, as aulas, que acontecem às terças e quintas, das 17h15 às 18h15, são abertas a associados a partir dos 6 anos de idade. Para participar, o interessado deve fazer uma aula experimental e, posteriormente, inscrever-se na secretaria. A sala de lutas do clube oferece toda a estrutura para o correto ensino e treinamento de artes marciais.
 
Mafra diz que os alunos do wushu, com empenho nos treinamentos, certamente alcançarão os diversos benefícios proporcionados pela modalidade, como melhora na condição física, correção de postura, controle emocional, diminuição da ansiedade e aumento da disciplina, entre outros. As atividades do wushu no Nosso Clube serão retomadas assim que houver avanço no plano de combate à pandemia de Covid-19.
Voltar