Com nome de banda de rock, Creedence fez carreira no futebol e hoje forma professores

Ex-atleta coordena aplicação da metodologia da Inter de Milão nas escolas do Brasil, incluindo o Nosso Clube

 
 
Grande fã do quarteto californiano Creedence Clearwater Revival, Aflânio Aurélio Couto não teve dúvidas no momento de batizar seu filho: deu a ele o nome da banda de rock. Nascia assim Creedence Clearwater Couto, que não seguiria carreira na música, mas se tornaria jogador de futebol profissional. Após deixar os gramados, com 33 anos, ele buscou conhecimento teórico para continuar trabalhando com o esporte, mas de outro jeito. Alguns anos depois, foi convidado por Marcelo Bernardo, CEO da Inter Academy no Brasil, para ser o responsável pela área técnica da rede de escolas de futebol da Inter de Milão no país.
 
Foi assim que Creedence, que é formado em Educação Física e tem especialização em futebol pela Universidade Federal de Viçosa, mergulhou na premiada metodologia da Inter Academy com o objetivo de multiplicá-la para as unidades brasileiras. Recentemente, ele esteve no Nosso Clube para dar início à parceria que trouxe a escola para Limeira. “Nossa metodologia é embasada cientificamente e entende que crianças não são miniadultos”, diz. “Cada idade tem seu treinamento específico”.
 
Creedence levou para a Inter Academy, além da bagagem teórica, a experiência que acumulou durante sua carreira de atleta profissional, que inclui passagens por clubes como Guarani, Figueirense, Santa Cruz, Volta Redonda, Madureira, Taubaté e Marília, além do Brasiliense, pelo qual foi campeão da Série B do Brasileirão, e do Irati, que ajudou a conquistar seu único título paranaense. Ele também atuou no futebol de Bélgica, Noruega e Chipre, e teve a oportunidade de passar por um período de treinamentos no Arsenal do técnico Arsene Wenger, na época em que o time inglês contava com craques como Henry, Bergkamp, Silvinho e Kanu.
 
Hoje, Creedence mantém contato frequente com os dirigentes da Inter de Milão, para que as unidades da Inter Academy em atividade no Brasil estejam sempre alinhadas com as diretrizes estabelecidas pelo clube italiano. A linha-mestra desse trabalho é a concepção de que, antes de jogadores, é preciso formar cidadãos e cidadãs utilizando o futebol como ferramenta para alcançar esse objetivo. “Todos os professores são treinados dentro dessa metodologia”, explica o ex-jogador.
 
Na categoria sub-5, na iniciação, o foco é no estímulo à percepção do aluno, que é motivado a processar e executar movimentos levando-se em conta que o futebol é um esporte de tomada de decisão rápida e precisa. Nessa etapa, ele também é iniciado nas habilidades básicas, capacidades coordenativas e gestos técnicos importantes para a idade, devido ao individualismo próprio dessa faixa etária.
 
Conforme vão avançando, os treinos ganham em complexidade. “É muito importante aproveitar cada fase da criança para que não se perca o momento de estimular determinada capacidade”, detalha Creedence, ressaltando que o estímulo adequado no momento correto potencializa o desenvolvimento cognitivo e motor. “Se perdermos esse timing, aquela característica pode vir a não ser tão boa”.
 
Creedence destaca que, por trás do gesto técnico do futebol, existem capacidades coordenativas importantes e habilidades básicas, como correr, saltar, girar e arremessar. “Quanto maior o repertório motor da criança, mais fácil de aprender um gesto técnico”, ensina. “Por exemplo, para conduzir bem uma bola, é preciso saber correr”. 
 
Na Inter Academy, além da faixa etária, também são observadas as características pessoais de cada aluno. Os professores são treinados para identificar a necessidade de cada criança, de modo que as atividades não sejam muito fáceis, para que ela não fique desestimulada, nem muito difíceis, para não desmotivá-la porque não conseguirá executá-la. “É preciso buscar o estímulo ideal para cada uma”, frisa.
 
E se o menino ou a menina têm o desejo de se tornar jogador profissional, também encontrarão na Inter Academy as condições necessárias para isso. “Se o aluno treinar como se deve e desenvolver suas capacidades, por que não sonhar?”, argumenta Creedence. “É preciso saber que, para ser atleta profissional, tem que ter muita dedicação e abrir mão de muita coisa, mas a nossa metodologia é a melhor que se pode oferecer em relação ao processo de formação de crianças e adolescentes dentro do esporte”.
 
As aulas da Inter Academy no Nosso Clube retornarão assim que for possível dentro do plano de combate ao coronavírus do governo do Estado.
Voltar